ÚLTIMAS NOTÍCIAS

quinta-feira, 24 de maio de 2018

FORTALEZA: Forças da segurança apresentam conclusão dos trabalhos de investigação sobre as mortes em um clube nas Cajazeiras

Após pouco mais de três meses de diligências, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS/CE) apresentou, nesta quinta-feira (23), a conclusão dos trabalhos de investigação e análise pericial da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), e da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) entorno da ação criminosa que resultou em 14 pessoas mortas em um clube, no bairro Cajazeiras, Área Integrada de Segurança 7 (AIS), no dia 27 de janeiro deste ano. Uma coletiva realizada, hoje, reuniu profissionais das forças de segurança para anunciar as nove capturas, apreensões de veículos, armas, munições e drogas.

Com base no trabalho dos profissionais da segurança pública, foi possível chegar à e captura de nove suspeitos de participarem direta ou indiretamente das mortes de Cajazeiras, sendo oito adultos e um adolescente. Um adulto foi liberado pela Justiça para responder em liberdade após audiência de custódia. Além disso, foram apreendidas nove armas, 531 munições, duas granadas, 26 quilos de drogas e sete veículos. Dos 14 envolvidos nos crimes, cinco estão com mandados de prisão em aberto e seguem foragidos. Os crimes foram cometidos por disputa entre grupos criminosos rivais.
A DHPP identificou a participação de cada um dos 14 suspeitos envolvidos nas mortes. Segue lista abaixo:


Mandantes
Deijair de Souza (29) – com antecedentes por roubo, porte irregular de arma de fogo, tráfico de drogas e indiciado por organização criminosa, pelos homicídios e posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.

Noé de Paula Moreira (34) – com antecedentes por homicídio, ameaça, roubo, dano, estelionato, associação criminosa, crimes de trânsito, porte ilegal de arma de fogo, posse ou porte de arma de fogo de uso restrito, tráfico de drogas e indiciado por organização criminosa e pelos homicídios.

Misael de Paula Moreira (26) – FORAGIDO – com antecedentes por homicídio, roubo, receptação, associação criminosa, adulteração de sinal identificador de veículo automotor, resistência, desobediência, porte ilegal de arma de fogo e posse ou porte de arma de fogo e indiciado por organização criminosa e pelos homicídios.

Auricélio Sousa Freitas (35) – FORAGIDO – com antecedentes por furto, porte ilegal de arma de fogo, roubo, tráfico de drogas e indiciado por posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, organização criminosa e pelos homicídios.

Zaqueu Oliveira da Silva (36) – FORAGIDO – com antecedentes por homicídios, ameaça, roubos, tráfico de drogas e indiciado por organização criminosa e pelos homicídios.


Executores
Pedro Paulo do Prado Sousa (21) – FORAGIDO – com antecedentes por tráfico de drogas, receptação, posse irregular de arma de fogo e indiciado por organização criminosa e pelos homicídios.

Rennan Gabriel da Silva (20) – com antecedentes por posse irregular de arma de fogo, porte irregular de arma de fogo, tráfico de drogas e indiciado por organização criminosa e pelos homicídios.

Francisco Kelson Ferreira do Nascimento (23) – com antecedentes por receptação, posse irregular de arma de fogo, porte irregular de arma de fogo, tráfico de drogas, associação para o tráfico e indiciado por organização criminosa e pelos homicídios.


Ruan Dantas da Silva (19) – tem antecedentes e autuado por associação para o tráfico de drogas e indiciado por organização criminosa e pelos homicídios.
Fernando Alves de Santana (26) – sem antecedentes e indiciado por organização criminosa e pelos homicídios.

Joel Anastacio de Freitas (18) – FORAGIDO – sem antecedentes e indiciado por organização criminosa e pelos homicídios.
Adolescente 17 anos – sem antecedentes e indiciado por organização criminosa e pelos homicídios.

Partícipes

Ana Karine da Silva Aquino (23), “Nega do Pezão” – sem antecedentes e autuada por indiciado por organização criminosa, homicídios, tráfico de drogas e por posse ou porte irregular de arma de fogo de uso restrito.


Ayalla Duarte Cavalcante (22), “Zói” – RESPONDE EM LIBERDADE – sem antecedentes e indiciado por organização criminosa e pelos homicídios.
Análises periciais

A Pefoce foi acionada através da equipe de local de crime que, por sua vez, foi composta por um perito, lotado na DHPP e mais três peritos do Núcleo de Perícia Externa (Nupex). A equipe fez a análise de vestígios, da dinâmica, dos corpos e de toda a ocorrência do caso. Sobre o material balístico, estojos e projéteis foram coletados no local de crime. Além disso, foram analisadas as munições, que vieram nas vítimas, e também as armas apreendidas. Exames de eficiência em munições e armas, como comparação balística entre os vestígios encontrados, foram realizados pelos profissionais.


Já a Informática Forense da Pefoce trabalhou recebendo os celulares encontrados no local do crime e também os aparelhos encaminhados pela delegacia, que foram apreendidos durante as diligências. Os exames foram feitos por meio de análise de arquivos digitais e imagens, bem como diálogos que, por sua vez, identificaram crimes relacionados à própria ocorrência no bairro Cajazeiras e também outros correlacionados. No caso da Coordenadoria de Medicina Legal (Comel), foi feita a necropsia, que analisou a causa mortis, especificamente, de cada um dos corpos.
A Coordenadoria de Identificação Humana e Perícias Biométricas (CIHPB), por meio do Laboratório de Identificação Papiloscópica (LIP) atuou no trabalho de revelação de impressões digitais recolhidas no local de crime e em materiais apreendidos.

Denúncias

As Polícias Civil e Militar seguem com as diligências para capturar Misael de Paula Moreira (26), Auricélio Sousa Freitas (35), Zaqueu Oliveira da Silva (36), Pedro Paulo do Prado Sousa (21) e Joel Anastacio de Freitas (18). Todos estão indiciados, com mandados de prisão em aberto e são considerados foragidos.


A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) reforça que a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam ajudar na elucidação do caso. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque Denúncia da SSPDS, para o (85) 3257-8807, da DHPP, ou ainda para o número (85) 99111-7498, que é o Whatsapp da Divisão, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo é garantido.

Fonte: SSPDS

Nenhum comentário: