ÚLTIMAS NOTÍCIAS

sábado, 19 de maio de 2018

SAÚDE: Números de casos e de mortes por influenza no Ceará crescem 30%

| H1N1 | Conforme boletim epidemiológico divulgado ontem, são 237 casos confirmados da forma grave da gripe e 39 mortes. Na semana anterior, eram 183 confirmações e 30 óbitos


Alguns números da situação da influenza no Ceará traduzem o cenário da doença e as ações para combatê-la: 237 casos confirmados da forma grave, 39 mortes (32 por H1N1), menos de 70% de crianças e idosos (grupos prioritários) vacinados. Há ainda 300 notificações e 19 óbitos em investigação, processo que tem grande peso na vigilância epidemiológica.

Comparados os números divulgados ontem aos do Boletim Epidemiológico do dia 11 de maio, houve crescimento de 30% nos casos (183 para 237) e nas mortes (30 para 39).

De acordo com a coordenadora de Promoção e Proteção à Saúde da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), Daniele Queiroz, houve uma redução no reporte de casos notificados nas últimas duas semanas. A diminuição deverá refletir nos próximos boletins. “É o que chamamos de efeito rebanho. Quando muitas pessoas se vacinam, os grupos minoritários também se protegem porque diminuiu a transmissão”, explica.


Trinta unidade de saúde já foram visitadas por técnicos da Sesa para fazer a investigação dos óbitos pela doença. A situação clínica no momento da internação, os sintomas, a evolução, o medicamento, o manejo clínico. Tudo deve ser avaliado a partir do prontuário do paciente. “Tenta-se descrever um padrão de conduta clínica”, frisa Daniele.


Esse acompanhamento já teria diminuído o tempo para uso do Tamiflu, medicamento antiviral indicado, de 10 para quatro dias. O ideal é que ele seja utilizado em até dois dias. O processo de investigação inclui ainda a análise laboratorial. No caso das confirmações da doença, o processo demora duas semanas. Para os óbitos, depende de como o diagnóstico foi feito. Se em vida, pelo envio da amostra sanguínea; ou após a morte, quando existem verificações antes da amostra sanguínea chegar ao laboratório.

Daniele Queiroz alerta para a necessidade de vacinação dos grupos prioritários — os maiores índices de imunização são de trabalhadores da saúde (94%), puérperas (81%) e professores (89%). Hoje e amanhã, estarão abertos para vacinação, em Fortaleza, os postos Paulo Marcelo (Centro) e Messejana.

Fonte: O Povo/ SARA OLIVEIRA

Nenhum comentário: